Domingo, 15 de Junho de 2008

Naquela noite ...

 

Entrámos no teu quarto. Finalmente sós.

Deste-me a mão, sentia-a gelada. Olhaste-me com um sorriso dizendo:

"Fico no chão"

Incrédula olhei-te com ar zangado.

"Mas,hoje estamos sózinhos"

"Sabes que tenho principios e esses não podem ser quebrados"

Atrevi-me a empurrar-te para cima da tua cama e comecei a beijar-te. Adorava sentir os meus lábios nos teus lábios gélidos, doces e ternurentos. Beijaste-me que nem um louco. Mudei de posição com alguma dificuldade e levei a mão à minha blusa para desapertá-la.
Senti o teu coração descompassado, a tua respiração ofegante. Beijavas-me com feror.
Eu, de olhos fechados sentia que não podíamos parar.

Em milésimas de segundos, tiraste a minha mão da blusa e afastaste-te de mim.

"Não te quero causar qualquer ferimento. Sabes que posso descontrolar-me e matar-te!"

A sua voz trémula não correspondia ao seu desejo.

"Mas eu tenho a certeza que vais conseguir" supliquei-lhe.

"Eu desejo-te" - disse-lhe.

Gentilmente pegaste nas minhas mãos, olhaste-me nos olhos.Os teus brilhavam. Tinham um tom de mel.

"Também te desejo. Sabes melhor do que ninguém o quanto te desejo. Mas agora não!"

"Porquê? Tens medo? É a tua primeira vez?" perguntei-lhe irritada e magoada com tantos rodeios.

"Cala-te! Sabes que não posso. Não te quero magoar, entendes-me?

Recolhi-me nos meus pensamentos.Por momentos fiquei em silêncio. As lágrimas teimavam em sair mas eu não queria mostrar-me fraca. Eu entendia perfeitamente os seus receios. Afinal éramos diferentes.
Eu, uma pobre criatura humana que se apaixonou loucamente por um vampiro. Ele, um ser que pertencia a um mundo só dele e do qual eu tanto desejava fazer parte.

" Fico no chão. Decidi."

" Não sejas tonta" - ripostou.

Virou-se para a grande janela com vista para a clareira ordenando que me despisse para me deitar.

Senti-te inquieto enquanto escutavas o roçar das minhas roupas a cair no chão.
O teu quarto estava sereno, mas eu não. Tu também não.
Sentia o pulsar da tua tensão.

"Despacha-te! Vem ver o luar!

Quando acabei de vestir o pijama e pude olhar para ti, não resisti a fazer um comentário.

"Até quando vais resistir?"

"Eu consigo amar-te com paixão, amor, desejo. És a minha alma".

Minutos depois...

Estávamos deitados, na quietude banhada pelo luar, eu na tua cama, tu no chão. Ambos acordados, de olhar fixo no tecto, cada um plenamente consciente da presença do outro. Tínhamos de enfrentar a proximidade de cada um de nós.

"Querida" - Murmuraste.
"Hum?"
" Ressonas?"
Achei piada à pergunta.
"Não sei" - respondi baixinho..

Pouco depois adormeci.
Ficaste acordado toda a noite, a escutar o bater do meu coração.

 

música: Dido - Here with me
publicado por rabat_bat às 21:07
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De sonhador a 24 de Junho de 2008 às 00:38
A força da amizade vence todas as diferenças...



Aliás... para que diferenças se somos amigos?



Quando erramos... nos perdoamos e esquecemos



Se temos defeitos... não nos importamos...



Trocamos segredos...



e respeitamos as divergências...



Nas horas incertas,



sempre chegamos no momento certo...



Amigos sem cor... sem sexo... sem idade...



Amigo é só amigo...



Nos amparamos...nos defendemos...



sem pedir...



fazemos porque nos sentimos felizes em fazer...



Nos reverenciamos... adoramos... idolatramos... apreciamos... admiramos.



Nos mostramos amigos de verdade,



quando dizemos o que temos a dizer...



Nos aceitamos , sem querer mudanças...



Estamos sempre presente,



não só nos momentos de alegria,



compartilhando prazeres,



mas principalmente nos momentos mais difíceis...



Não tiramos a liberdade...



não sufocamos... não forçamos nossa presença...



Estamos perto quando de nós necessitam...



e ao nos afastarmos ,



respeitamos sempre a individualidade alheia.



A amizade não se força...



Mas tem uma força



que se intensifica a cada instante...



É dessa maneira que sou teu amigo !!!

Beijinhos
~
Sonho

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Naquela noite ...

. Parábola ...

. Prometeste-me levar ao Te...

. Nos Jardins de Viena

. Sem sexo...nem inveja

. Preciso de gritar até à e...

. La femme

. Fantasiar não é infidelid...

. Perdi-me algures ...

. Foi o teu gelo que me atr...

.arquivos

. Junho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.favorito

. Porque partiste?

blogs SAPO

.subscrever feeds