Domingo, 15 de Junho de 2008

Parábola ...

 

 

 

Rápidamente cheguei à clareira e sentei-me. Ergui a cabeça e olhei os céus. A decisão está tomada!

A minha escolha recaíu sobre aquele que não podia excluir da minha existência!

A luz do Sol ofuscou-me. Semicerrei os olhos e fui esconder-me por baixo de cedro enorme. Baixei a cabeça lentamente e fechei os olhos. Mil imagens passaram por entre as minhas pálpebras e a iris. Introspectiva e não receptiva perguntei em voz baixa:

- Porquê? Porque sou forte e imortal? Porque atingo velocidades astronómicas dentro de mim?

Assim fiquei tempos sem fim, dias e noites, de chuva e de sol. Vagueei até que o "cansaço" se apoderou de mim...

Endireitei-me, rodei a cabeça para trás, apurei a minha audição...ouvi algures, um chamamento, preciso de ir...

 

música: The crawberries - Just my imagination
publicado por rabat_bat às 20:57
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Naquela noite ...

. Parábola ...

. Prometeste-me levar ao Te...

. Nos Jardins de Viena

. Sem sexo...nem inveja

. Preciso de gritar até à e...

. La femme

. Fantasiar não é infidelid...

. Perdi-me algures ...

. Foi o teu gelo que me atr...

.arquivos

. Junho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.favorito

. Porque partiste?

blogs SAPO

.subscrever feeds